domingo, 31 de julho de 2016

Parque Shopping Maceió

14:24
O Parque Shopping Maceió é o primeiro empreendimento da Multiplan no Nordeste do Brasil. Inaugurado dia 7 de novembro de 2013, o shopping foi desenvolvido em parceria com a Aliansce Shopping Center.
Foto Wesley Menegari
Localizado no bairro de Cruz das Almas, com vista privilegiada para o mar, o shopping possui 200 lojas, muitas delas inéditas na cidade, além de praça de alimentação, dois restaurantes independentes, como Outback Steakhouse e Armazém Guimarães, modernas salas de cinema e cerca de 2.000 vagas de estacionamento.
Foto Wesley Menegari
Dentre as 200 lojas, então marcas famosas como: Calvin Klein, Carmen Steffens‎, Farm, Tok Stok, Animale, John John, Richards, entre outras!
Foto Wesley Menegari
O valor cobrado no estacionamento do Parque Shopping Maceió é $5,00 por 4 horas e R$2,50 por cada hora excedente deve ser rechaçada pelos consumidores.
Foto Wesley Menegari


Site: www.maceioparqueshopping.com.br

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Vá ao Farol da Ponta Verde na maré baixa!

18:42
O Farol da Praia da Ponta Verde é um dos principais e belos cartões postais de Maceió. Esse gigante de 11 metros de altura foi construído em alvenaria com fundação em concreto armado, teve sua instalação em 1922 e foi inaugurado em 1949. (O Farol possui 67 anos)
Foto Itawi Albuquerque
Na maré baixa, o visual é perfeito e fica muito mais fácil explorar a natureza de perto, repleto de peixinhos. Então, fique sempre atento à tábua das marés!
Foto Alzir
Você deve ir caminhando até o Farol, mas esteja sempre atento se a maré está subindo. Para não machucar os pés, vá calçado, você vai ter que caminhar em cima dos recifes e o percurso é repleto de ouriços.
Foto Wesley Menegari
Pode ser que você encontre algumas serpentes-marinhas nas poças, que se formam durante a maré baixa. Felizmente, serpentes do mar são geralmente dóceis e dificilmente oferecem perigo ao homem.

Já presenciei uma turista desesperada gritando que tinha uma cobra no trajeto e que não iria mais nunca no farol. Então se você também morre de medo só de olhar, vale lembrar que as serpentes-marinhas só ficam dentro de algumas poças, e que é possível evitar passar por elas, basta ir pela crosta dura.
Foto Itawi Albuquerque
Foto Itawi Albuquerque
Lembrando que as chances de se deparar com a serpente é rara, mas é sempre bom deixar o turista informado!

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Praia do Francês

10:13
Localizada em Marechal Deodoro no litoral sul de Alagoas a apenas 25 quilômetros de Maceió, a Praia do Francês é uma das mais famosas do estado e pode ser conhecida em um bate e volta.
Foto Wesley Menegari
A Praia do Francês tem ingredientes para satisfazer a todos que buscam diversão, descansar ou praticar esportes.

No canto esquerdo, protegido por recifes que formam piscinas naturais, a frequência é de famílias com crianças e da turma do burburinho, que lá encontra gigantescas e animadas barracas especializadas em frutos do mar. (Esse lado possui um grande numero de ambulantes)
Foto Cvc Viagens
Já o rústico lado direito, tomado por ondas fortes e coqueirais, é o point dos surfistas. Longe do agito, a área garante ainda sossego e tranquilidade.
Foto Cvc Viagens
É um lugar mais indicado para conhecer em um dia útil, já que nos fins de semana suas areias ficam lotadas de gente. São 34 km de areia fofa e branquíssima, águas verdes e límpidas, centenas de enormes coqueiros à beira mar e ondas tubulares que chegam a mais de 2 m.
Foto Setur
Boa parte dos turistas ainda fica hospedada em Maceió e curte a praia somente durante o dia, mas Francês dispõe de boa infraestrutura de pousadas, uma extensa rede de restaurantes, que ao lado das lojinhas de artesanato, oferece de tudo aos visitantes.
Foto André Palmeira / Sedetur
A praia já serviu de palco de diversos eventos ligados ao esporte, como campeonatos de surfe nacionais e internacionais.

Uma vez na região, aproveite para fazer um passeio de barco até os recifes de coral, onde se pode mergulhar nas piscinas naturais. Se a maré estiver baixa, é possível caminhar até a Praia do Saco. Também conhecida como Saco da Pedra, a praia está dentro de uma reserva ecológica que pertence à Ilha de Santa Rita.
Foto Cleferson Comarela (wikimedia)
Vale a pena também conhecer o Centro Histórico de Marechal Deodoro, com igrejas, conventos e museus; e ver de perto os trabalhos das rendeiras da cidade, encontrados no Espaço Cultural Santa Maria Madalena.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Gogó da Ema: O coqueiro-símbolo de Maceió

10:35
O dia 27 de julho de 1955 foi de muita tristeza para os alagoanos: um de seus principais símbolos caía, vencido pela força inabalável da natureza.
Foto Divulgação
Gogó da Ema era um coqueiro torto, que virou símbolo de Maceió por décadas, existente na Ponta Verde, quando o bairro ainda era uma região de sítios e suas praias eram notícias somente quando o assunto era a possibilidade de por lá se encontrar petróleo.
Foto Divulgação
A curva da Ponta Verde, onde ficava o Gogó da Ema, era um sítio de propriedade de Francisco Venâncio Barbosa, o Chico Zu. O famoso coqueiro foi plantado bem antes, ainda no final do século XIX, por dona Constança Araújo, como registram alguns historiadores.

Ninguém sabe quando a sua deformidade passou a ser admirada ou quem o batizou, mas sabe-se que começou a ficar famoso quando o avanço do mar na Ponta Verde derrubou a cerca e vários coqueiros do Sítio do Chico Zu, e o Gogó da Ema ficou acessível, a poucos metros da praia, podendo ser observado sem precisar invadir o lote e enfrentar os cachorros.
Foto Divulgação
A partir daí, rapidamente sua imagem foi propagada mundo afora por milhares de fotos. Muitos guardam, ainda, as imagens ou cartões-postais colorizados produzidos por estúdios alagoanos como o de Arnaldo Goulart. A imagem do coqueiro era tão forte que muitas empresas alagoanas da época a utilizavam como marca.
O coqueiro começou a receber atenção dos poderes públicos em 1946, na gestão do prefeito Reinaldo Carlos de Carvalho Gama, que mandou enterrar algumas estacas ao seu redor para protegê-lo. Em 1948, quando o prefeito já era João Teixeira de Vasconcelos, no entorno do Gogó da Ema foi construída uma pracinha com quatro banquinhos.

A responsabilidade de sua queda, em 1955, é atribuída as mudanças das correntes marinhas a partir da construção do cais de Maceió. O engenheiro Vinicius de Maia Nobre acredita que o Gogó da Ema já estava em idade adulta, mas que as obras do porto aceleraram o avanço do mar sobre o coqueiro.
Foto Divulgação
Com o avanço do mar na curva da Ponta Verde, muitos coqueiros foram caindo e também caiu o Gogó da Ema, mesmo com alguns cuidados que foram adotados para mantê-lo de pé, improvisando barreira de troncos, aterrada com arrecifes e cimento. Era uma solução apontada como ineficiente para impedir a ação agressiva das ondas do mar. No dia 27 de julho de 1955, às 14:20 horas, lentamente, cedendo a onda após onda, o cartão postal de Maceió foi vagarosamente caindo.

Houve ainda quem culpasse a extração desenfreada de arrecifes para a produção de cal como a causa do avanço do mar na região, ou mesmo a perfuração dos poços para a pesquisa da existência de petróleo.

Dois dias depois foi montada uma operação para reerguê-lo, mas, mesmo recolocado de pé com a ajuda dos engenheiros agrônomos Jesus Gerardo Parentes Fortes e Olavo Machado, o Gogó da Ema não conseguiu se recuperar.
Foto Divulgação
A operação durou três dias e contou com a ajuda de um carro guindaste da Companhia Força e Luz. Após 90 dias de tratamento, algumas folhagens reapareceram, mas o mar continuava a solapar a base do coqueiro, derrubando-o definitivamente.

Por sua importância para Maceió, sendo seu símbolo mais conhecido por décadas, o Gogó da Ema recebeu uma homenagem em forma de monumento na praça batizada com o seu nome em um local bem próximo onde ele viveu seus dias de glória.
Foto Orlando de Almeida
Fontes: - Texto “Gogó da Ema” de Luís Veras Filho, Texto “Paixão e morte de um coqueiro” de Carivaldo Brandão, Livro Maceió de Outrora, de Félix Lima Júnior.

sábado, 23 de julho de 2016

Praia do Carro Quebrado

14:05
Situada no município de Barra de Santo Antônio (litoral norte de Alagoas), a famosa Praia do Carro Quebrado possui um cenário exótico, encravado em vastos coqueirais e esculturais falésias. Não é atoa que a praia está entre as seis praias mais desertas e bonitas do Brasil.
Foto Wesley Menegari
Se você quer um pouco de tranqüilidade durante o passeio para Alagoas, vale o esforço de se deslocar de Maceió até a Barra do Santo Antônio, que fica 37 km ao norte da capital.
Foto Turismo Alagoas
Um lugar praticamente intocado pela mão do homem e que vale muito a pena conhecer. Aqui não há ambulantes, nem qualquer infra-estrutura turística e você pode, melhor, deve, trazer seu próprio isopor com bebidas e um lanche.
Foto Turismo Alagoas / Wesley Menegari
Quem quiser conhecer a famosa praia vai ter que percorrer seis quilômetros de estrada a partir da Ilha da Croa, na Barra de Santo Antônio. Normalmente esse trajeto é orientado por guias. É uma ajuda necessária considerando que não há nenhuma sinalização na entrada para a praia. Assim que chegar à região, você será abordado por diversos deles (adultos e crianças) que se oferecem para acompanhar o turista até a praia. O preço médio cobrado é de R$ 30 por carro. A estrada até Carro Quebrado é toda de barro e com muitos buracos.

Antigamente o acesso a barra era possível apenas de balsa, mas hoje há uma ponte que atravessa o rio Santo Antônio, agilizando bastante o percusso.
Ponte que liga Barra de Santo Antônio com a Ilha da Croa. (Foto Divuglação)
No local, é possível fazer passeio de buggy e curtir o visual das impressionantes falésias coloridas. Quem gosta de andar pode esticar até a praia da Gamela e a ponta da praia do Morro.
Foto Zago
Você também pode fazer o passeio de lancha saindo do restaurante Estrela Azul (Custa em torno de R$60,00) ou o Mar & Companhia (Localizado em Paripueira). O passeio de lancha é veloz, mas tem paradas para os visitantes apreciarem a nitidez das águas, cor do mar e os corais preservados. O passeio de lancha até a praia de Carro Quebrado dura entre 20 minutos e meia hora, para ir e retornar. O tempo de permanência na praia é de 45 minutos.
Foto Sedetur / Eduardo Vaz
O mar é tranquilo, azul e com algumas ondas, suas águas são mornas. O grande diferencial da praia são seus Paredões de argila e arenito formados há mais de 100 anos, com sedimentos coloridos que ficam ainda mais evidentes no contato com a água. Dão também um ar rústico ao lugar e garantem uma boa sombra na praia dependendo do horário.
Vista do alto das falésias (Foto Zago)
A origem do nome Carro Quebrado tem algumas versões. Uns dizem que um casal foi namorar na praia à noite e não conseguiu voltar porque o carro quebrou. Outros acreditam que um carro teria atolado na estrada de acesso, sendo completamente corroído pela maré alta.
Foto Zago
Como chegar?
Saindo de Maceió, siga pela AL-101, sentido norte. A estrada é tranquila e até bem sinalizada. Depois de 30 e tantos quilômetros você verá uma placa, à direita, para entrar na cidade de Barra de Santo Antônio. E, em seguida, aparacerão placas explicativas. Atravesse a ponte sobre o rio Santo Antônio até a Ilha da Crôa. Para Carro Quebrado, siga a estrada de terra na Ilha da Crôa.

Contatos
Restaurante Estrela Azul - (82) 3293.2031
Restaurante Mar & Companhia - (82) 3291-1599

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Praia do Patacho

10:49
A Praia do Patacho fica no município de Porto de Pedras, em uma região conhecida como Rota Ecológica de Alagoas. Considerada uma das mais perfeitas da região, possui mar claríssimo, água morna, arrecifes que formam piscinas naturais na maré baixa e coqueirais a perder de vista.
Foto Sedetur
A Praia do Patacho foi premiada com 5 estrelas pelo Guia Quatro Rodas 2013/14 e eleita entre as 5 mais bonitas do Brasil. Por que 5 estrelas? Com uma localização privilegiada, o acesso é fácil e pouco explorado. A praia é desertar e você não será incomodado por outros banhistas ou vendedores ambulantes. Aproveite o sossego para tomar um banho despreocupado no mar calmo e raso durante a maré baixa.
Costa dos Corais Convention
A região recebe este nome por conta das praias selvagens, quase intocadas pelo homem. É praticamente certo que você vai passar alguns dos melhores momentos da sua viagem apenas curtindo um mar paradisíaco de cor turquesa e piscinas naturais a poucos passos da beira da praia.
Foto Itawi Albuquerque
Reserve a manhã para caminhar e, quando a maré estiver baixa, você vai andar vários minutos (sem exagero!) mar adentro até as piscinas naturais. É uma característica da Praia do Patacho: quando a maré está baixa, você precisa andar muito (muito mesmo), mar adentro, para conseguir chegar até as piscinas, além disso, o mar fica bastante raso. Quem não estiver disposto a “caminhar”, há jangadas/barcos que podem levar vocês até as piscinas também. (O passeio custa em média R$ 30 reais por pessoa).

Se você possuir snorkel, não deixe de levar, porque há peixinhos nas piscinas. E leve também sapatilhas ou uma sandália de borracha para não machucar os pés nos corais e ouriços. Aah, lembra também de levar comida e bebida, pois não há estabelecimentos para fazer compras. (Não esquece da sacolinhas para recolher o lixo).

Como chegar?
A Praia do Patacho fica a pouco menos de 2 horas de Maceió. Siga na AL 101 Norte no sentido Maragogi e entre na Usina Santo Antônio. Após entrar siga em frente no sentido São Miguel dos Milagres.


Já quem vai de Recife, basta pegar a estrada Litorânea PE-60 e seguir no sentido de Maragogi. A praia do Patacho fica a 155 km de recife, mais ou menos duas horas e meia de carro.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Foz do Rio São Francisco

12:09
Quando você pensa em em vir à alagoas logo pensa nas praias maravilhosas da região e acaba esquecendo de um lugar maravilhoso e super especial que fica no litoral sul, bem na divisa com Sergipe: a Foz do Rio São Francisco!
Foto Wesley Menegari
O encontro das águas do Rio São Francisco com o mar de Alagoas ganha a moldura de dunas douradas, formando um delta com coqueiros e imensas lagoas de águas azuis.
Foto Tend Criativa / Turismo Alagoas
Existem diversas opções para se conhecer o lugar, sendo as mais comuns de barco e lancha. Já para quem tem receio de fazer passeios pelo mar, há a opção de chegar até a foz de buggy pela praia, na maré baixa.
Foto Tend Criativa / Turismo Alagoas
O passeio em barco é um passeio lento, já o de lancha é muito mais rápido e chega bem mais próximo à foz propriamente dita e tem um plus de ir até a ilha do farol, já do lado sergipano do rio. Durante o passeio, a vegetação e as esverdeadas águas antecipam a beleza do encontro do rio com o mar.
Foto Tend Criativa / Turismo Alagoas
No local, dunas paralelas à praia deixam o visual arrebatador e o banho é imperdível. A bela praia do Pontal do Peba, situada num povoado que leva o mesmo nome, tem águas tranquilas e ótima infraestruturas de hotéis, pousadas e restaurantes.
Foto Tend Criativa / Turismo Alagoas
O passeio pelas dunas douradas é especialmente agradável entre maio e setembro quando as chuvas formam pequenas lagoas e possibilitam um visual deslumbrante. Mas quem aprecia um bom tempo e belo céu azul, a melhor época é entre os meses de outubro e fevereiro.
Há tanta beleza natural em volta que chega a ser inacreditável a existência de um local como este. As embarcações ancoram perto da foz e os visitantes podem aproveitar o tempo para caminhar pelas dunas até o encontro das águas do rio com as do oceano e se banhar nas piscinas naturais que se formam à beira-mar com a maré baixa.
Foto Wesley Menegari
Foi em Piaçabuçu que foram produzidas cenas do filme "Deus é Brasileiro" (2002), e atualmente é cenário da novela da globo "Velho Chico" (2016), o que a tornou mais conhecida em todo o país.
Foto Divulgação
A tranquilidade é essencial para as três espécies de tartarugas marinhas que procuram periodicamente a região para desova. Por isso, embora seja permitido o acesso a essa região, há um limite de tempo de permanência.

Se não bastasse tanta beleza, ainda é possível conhecer a paisagem paradisíaca de duas maneiras radicais: em uma descida nas areias com uma prancha ou, para os que gostam de altura, sobrevoando o local em uma parasail.
Foto Tend Criativa

Como chegar?
A melhor forma de chegar em Piaçabuçu é de carro. O caminho é simples, é só seguir reto reto reto e, de repente, você já está em Piaçabuçu e já da de cara com a Farol da Foz. O trajeto tem aproximadamente 142km e leva em media 2 horas para ser percorrido. Também é possível chegar de transporte público ou pela forma mais comum, através de agências de turismo que fazem o bate-e-volta a partir de Maceió.


Contato Farol da Foz Ecoturismo
Tel: (82) 9975-1975 / 3552-1298
Skype: faroldafozskype
contato@faroldafozecoturismo.com

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Praia do Gunga

07:54
A Praia do Gunga é um verdadeiro paraíso em terras alagoanas, mais precisamente no município de Roteiro, um cartão-postal localizado a 35 quilômetros de Maceió. Não é em vão que a praia encabeça a lista das 10 praias mais bonitas do Brasil e é um dos destinos favoritos dos moradores da capital.
Foto Wesley Menegari
A praia do Gunga divide com as Galés de Maragogi o topo da lista de passeios mais desejados pelos turistas que compram pacotes para Maceió. Com coqueiros a perder de vista e águas cristalinas, ela encanta pela beleza natural incontestável e por ser capaz de agradar mesmo os mais exigentes.
Foto Wesley Menegari
A praia possui uma península, o que a torna ainda mais paradisíaca. Em sua ponta esquerda é possível avistar a Barra de São Miguel e o encontro do mar com a Lagoa do Roteiro. Este é o lado mais movimentado da praia, com quiosques à disposição dos turistas, que servem diversas opções de porções e pratos.
Foto Sedetur
Já do outro lado encontram-se as maravilhosas falésias do Gunga, rochas íngremes de areia colorida, esculpidas pela natureza. Para chegar até ela, o turista pode optar pelo passeio de buggy (R$40 por pessoa.), quadriciclo (R$100 o casal), ou fazer uma longa caminhada pela praia quase deserta.
Foto Sedetur
A praia também oferece piscinas naturais e aluguel de equipamentos náuticos. (Aquaflight, Banana Boat, Flyboat, Jet Skis, Aqua Bubble, Boias e etc).
Foto Divulgação
Há duas formas de chegar ao Gunga. A primeira é pelo porto de Barra de São Miguel, onde é possível pegar embarcações, como lanchas ou escunas, que levam à praia (A travessia leva em torno de 20 minutos) ou seguir de carro pela AL 101 (O acesso com o carro à praia custa R$ 10,00).

Para quem opta em ir de lancha, há dois outros tipos de passeios oferecidos que saem à partir das 8 horas. O primeiro inclui uma parada nas piscinas formadas pelos arrecifes de corais e a ancoragem é nas Croas, grandes bancos de areias que se formam na foz da Lagoa do Roteiro.

O segundo passeio também inclui os aquários naturais, depois passa pelos manguezais, localizado na Ilha de Três Corações, e em seguida nas falésias de areias coloridas, para depois desembarcar no Gunga. Em ambos os roteiros, o turista pode escolher o horário de retorno para a Barra, mas não pode ultrapassar às 17h. Caso forem de pacotes turísticos, a maioria já inclui o passeio na programação semanal, levando e trazendo os turistas á partir do hotel, muito mais cômodo.
Foto Wesley Menegari
Na chegada à Praia do Gunga está um cartão de visita obrigatório para quem vem de fora: o Mirante do Gunga. Suba e surpreenda-se ao avistar o imenso coqueiral da fazenda do Gunga, a Lagoa do Roteiro e o mar com tons de azul caribenho. (Custa R$ 2,00 para o acesso ao mirante).
Foto Sedetur / Tom Alves

Contatos:
Aluguel de buggy e quadriciclos: 9694-3927
Flyboard Maceió: (82) 99709199 ou Whatsapp: (48) 9686-5264  - Instagram: @flyboardmaceio

terça-feira, 19 de julho de 2016

Praia de Ipioca

11:35
Na minha opinião, a praia de Ipioca é a mais bonita da capital de Alagoas (Maceió). Fica no sentido litoral norte, a 22Km da orla de Maceió. Considerada por muitos como um pequeno paraíso, mar cristalino azul esverdeado, de águas quentes, essa bela praia é conhecida por sua tranquilidade e clima agradável.
Foto Wesley Menegari
Do lado norte, seu mar é tranquilo, com bancos de areia e piscinas naturais na maré baixa, excelentes para a prática do mergulho; de outro, suas ondas são fortes e a areia é macia. Praia ideal para caminhadas.
Foto Wesley Menegari
É uma boa opção para todos os públicos, desde os jovens aos mais velhos. Esse refúgio é perfeito para quem deseja fugir do turismo de massa e de horários impostos por excursões, para curtir um ambiente quase que exclusivo e maravilhoso.
Foto Felipe Graber
Qualquer um que tenha o privilégio de visitar esse cenário, poderá narrar as maravilhas de curtir um pouco essa paisagem paradisíaca.
Foto Turismo Alagoas
Possui alguns restaurantes e barracas a beira mar como o charmoso Hibiscus, que restringe a lotação a um número pré-estabelecido de visitantes. Para passar o dia nesse paraíso, paga-se uma taxa de R$ 15 e crianças de até 12 anos têm acesso gratuito. A barraca conta com ótimas opções de alimentação, piscina, camas para relaxar à beira da praia, massagem, palhoça, duchas e redes.
Foto Hibiscus / Jorge Menezes

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

82 9 8172-9739 (WhatsApp)

E-mail: maceioalagoasoficial@hotmail.com

Recente Post

recentposts

Seguidores